Notícias

GESTÃO

Cerimônia marca troca de comando da Operação Acolhida

publicado: 16/01/2020 21h05, última modificação: 16/01/2020 21h05
Solenidade no Palácio do Planalto contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro
20200116_Eventos_Solenidade_da_Passagem_de_Comando_da_Operação_Acolhida_RZ_(19).jpg

- Foto: Rafael Zart

Brasília/DF - O ministro da Cidadania, Osmar Terra, acompanhou nesta quinta-feira (16) a troca de comando da Força Tarefa Logística Humanitária da Operação Acolhida, em Brasília. A cerimônia no Palácio do Planalto contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro. A ação tem como objetivo promover a inclusão socioeconômica dos venezuelanos que chegam ao Brasil pela fronteira com Roraima.

À frente dos trabalhos desde o início do projeto, em 2018, como coordenador operacional, o general de Divisão, Eduardo Pazuello, passou o comando ao general de Divisão, Antônio de Manoel Barros. Formado pela Academia Militar das Agulhas Negras, Barros é mestre em Operações Militares e doutor em Ciências Militares, além de integrar hoje o oficialato do Estado-Maior do Exército.

Na prática

A interiorização, como é chamada a ação de encaminhar venezuelanos para diversas cidades do Brasil, é de responsabilidade do Ministério da Cidadania, juntamente com o Ministério da Justiça e Segurança. O trabalho busca diminuir os impactos da migração nos estados de Roraima e do Amazonas, assim como gerar melhores oportunidades para os imigrantes.

Mais de 240 mil venezuelanos já entraram no país e permaneceram desde o início da crise migratória, em meados de 2016. Ao todo, mais de 560 mil pessoas já passaram pelos postos de atendimento em território roraimense, que contam com 13 abrigos, com capacidade para nove mil pessoas.

Só no ano passado, foram investidos R$ 9,7 milhões na Operação Acolhida. Coordenada pela Casa Civil da Presidência da República, a ação também tem apoio do Exército Brasileiro, das Agências da Organização das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e para as Migrações (OIM).

Vida nova

Mais de 89 mil carteiras de trabalho já foram confeccionadas para os migrantes e refugiados. Cerca de 246 mil CPFs foram emitidos. Os venezuelanos já receberam mais de 338 mil doses de vacinas e mais de 216 mil atendimentos sociais.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2030-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa